Now Reading
Iconofagia do Acaso

Iconofagia do Acaso

EXPOSIÇÃO ICONOFAGIA DO ACASO
FOTÓGRAFOS BRUNO QUEIROZ, FRANCISCO PEREIRA, ÍTALO ALMEIDA, JÉSSICA ROLEMBERG, LUCAS CHAGAS, LUCAS PIETRO, MARIA CLARA ZICA, NATHÁLIA SANTOS
TEXTO BERNARDO BIAGIONI
FOTOS FERNANDO BIAGIONI
DATA 17 DE JULHO A 31 DE AGOSTO 2019

Há de se lembrar que somos novos aqui. De novo. Estes seres incandescentes que irradiam luz em noites mal iluminadas de uma cidade que se pauta pela efervescência da decadência cotidiana das coisas. O grito desvelado da noite. Uma espécie de salvação pecaminosa que se troca em copos, cigarros e comprimidos destemidos da angústia de se viver aqui e agora.

Registrar o acaso é um desafio interposto aos desacreditados. Aos seres que rastejam nesse espectro de escuridão com o olhar de quem se nutre do abandono. A alimentação dos restos. De tudo aquilo que diziam não ter importância, dentre a suma importância que é tatear a existência momentânea do tempo, da falsa fama, da História e das pessoas.

Bruno Queiroz, Francisco Pereira, Ítalo Almeida, Jéssica Rolemberg, Lucas Chagas, Lucas Pietro, Maria Clara Zica e Nathália Santos. Testemunhas oculares de uma cidade em contínuo processo de desabandono. São como para-raios alucinados a receptar a frequência do sentimento de um tempo. Fotografam como se fosse possível congelar o caos e o acaso. E é.

Se toda arquitetura é uma espécie de música congelada, estas fotografias são as estalagmites de uma caverna revirada por artistas inventados pela contemporaneidade. Entre a performance e a simples vivência. E entre a vivência e a demência que precisamos experimentar para conseguirmos sobreviver nesta estranha era de domínios sombrios que nos libertam.

Rua Antônio de Albuquerque 384
Savassi • Belo Horizonte • Brasil
Scroll To Top
preloader