Now Reading
Ocupação 62 Pontos

Ocupação 62 Pontos

Há de se acreditar que Belo Horizonte se revira em uma grande e silenciosa microrevolução de princípios, valores e propósitos. O sentimento é visto e sentido nas ruas e nos carnavais, nos shows e nos festivais que promovem o encontro entre uma geração ansiosa em criar e reconstruir. Longe de estarmos prontos – e já somos ruínas. E uma das ruínas da cidade está se erguendo – ou se desfazendo – em um nobre logradouro situado no tradicional bairro de Santa Efigênia.

62 Pontos. Uma gráfica e um coletivo formado por Flávio Vignoli, Ana Utsch, Cláudio Santos, Gabriel Nascimento, Luis Matuto, Olavo D’Aguiar, Rafael Quick e Vitor Paiva. Os Filhos Do Matias, como devem ser destacados. E, o pai, homenageado. Porque se hoje a artesania da tipografia é uma revolução, tudo se deve aos seus bravos e resistentes operários. Que insistem no olhar e no afeto. No tato e no contato. Na dedicação pelas prensas, prelos, tipos de madeira e metal, clichês e demais materiais para a impressão tipográfica.

Ocupação 62 Pontos na Galeria quartoamado. Esta exposição é uma ode ao futuro, em forma de passado. Um encontro entre esses tipógrafos e gravadores que se tateiam na vontade de experimentar caminhos e possibilidades com as máquinas de outro tempo. A apresentação de uma pesquisa autoral e experimental em tipografia – e nas técnicas de impressão. A galeria toma forma de oficina tipográfica. São apresentadas mais de 50 gravuras e impressos tipográficos divididas em sete séries. E uma programação intensa ao longo do mês de agosto.

Scroll To Top