Now Reading
Máscaras em branco viram suporte para artistas e designers

Máscaras em branco viram suporte para artistas e designers

Foi costurando uma máscara branca que a designer de moda Caroline Kurowsky pensou na possibilidade de passar alguma mensagem através dela, uma apropriação deste “elemento novo que se tornaria essencial para todos nós”.

A partir desta primeira reflexão, Caroline convidou artistas e designers para reimaginarem este suporte livremente, promovendo suas próprias identidades.

Os resultados seguem então para leilões virtuais, via Instagram, com os recursos arrecadados distribuídos entre artista, designer e três organizações sociais que estão amparando a sociedade em tempos de pandemia: Rede Solidária BH, Um Milhão de Máscaras e Lá da Favelinha.

A primeira máscara apresentada foi da tatuadora Bruna Zanetti. Intitulada de “Máscara Presidencial”, Bruna escreve: “Imagino essa máscara como um objeto histórico, que marque esse período, que situe as próximas gerações e não nos deixe esquecer que, durante uma pandemia o presidente do Brasil é/era um sujeito que defeca pela boca, que destila ódio, que atrai bichos de esgoto.”

A segunda máscara foi assinada pela artista Priscila Amoni, muralista de Belo Horizonte. Segundo Priscila e seu trabalho Cerca Viva, “Não podemos nos esquecer nunca de invocar a proteção espiritual para o momento em que estamos. As lanças de iansã são plantas de proteção e poder, nos lembrando de nossa espiritualidade e remetendo a atenção às inteligências superiores.”

“Cerca Viva” da artista Priscila Amoni.

Também tatuadora e conhecida nacionalmente pela ilustração “Ninguém Solta a Mão de Ninguém”, Thereza Nardelli assinou a terceira máscara: “Eu fiz essa máscara pensando só em escrever algo que fosse também uma bandeira, minimamente. Quando pintei, ainda não era obrigatório o uso das máscaras em BH e tinha muita gente na rua sem usar. Eu, inclusive, fui ridicularizada (algumas vezes) na rua por usar uma. Então, a minha sensação era quase de que usar a máscara naquele momento já era estar militando por uma causa, digamos assim. E achei que essa causa seria da saúde pública que, no Brasil, é gerida pelo valioso sistema do SUS.”

Máscara proposta pela Thereza Nardelli, a @zangadas_tatu

O projeto Máscara.em.branco segue apresentando artistas e leiloando suas intervenções pelo Instagram. O lance inicial é de R$ 50 reais e subsequentes de R$ 5 reais, válidos entre 10h e 22h no dia em que o trabalho é postado. Acompanhe em instagram.com/mascara.em.branco/

View Comments (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Scroll To Top