Now Reading
Makers de São Paulo usam impressora 3D na produção de escudos faciais para o SUS

Makers de São Paulo usam impressora 3D na produção de escudos faciais para o SUS

Assim que os primeiros casos de Covid-19 começaram a ser noticiados em São Paulo, um grupo de 39 makers e mais de 40 voluntários se mobilizaram com equipamentos de impressão 3D para o desenvolvimento de escudos faciais. Entre março e abril, o projeto nomeado de Geral Contra Covid produziu 7mil unidades dos protetores. “As impressoras 3D e a sua velocidade em prototipação rápida e a criação de soluções para problemas urgentes foram fundamentais para chegarmos até aqui”, relatam.

“Com o avanço da pandemia e com quase 90% da ocupação dos leitos hospitalares, se faz necessária a proteção daqueles que estão na linha de frente para não sobrecarregar ainda mais o sistema de saúde”, informa o chamado de apoio, publicado na plataforma de financiamento coletivo Catarse. A intenção do projeto agora é produzir mais 13mil escudos faciais, que serão distribuídos entre unidades de saúde de São Paulo (8mil) e Amazonas (5mil). Os novos protetores serão feitos à partir de silicone, “tornando o EPI mais leve, flexível e adaptável para o profissional, proporcionando maior conforto, facilidade na higienização e estocagem”.

As doações para o projeto se iniciam em R$25, com recompensa de agradecimento nas redes sociais. Outros valores incluem adesivos, livros, boné e até uma gravura do artista paulistano Paulo Ito, feita exclusivamente para a campanha. Para saber mais e colaborar é só acessar o link www.catarse.me/geralcontracovid.

Scroll To Top